Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

União das Freguesias de Tarouca e Dálvares

Freguesia do Concelho de Tarouca, Distrito de Viseu, Portugal

União das Freguesias de Tarouca e Dálvares

Freguesia do Concelho de Tarouca, Distrito de Viseu, Portugal

26
Out14

Mensagem do Presidente

Perspetivámos um ano de 2020 muito diferente daquele que nos obrigámos a viver.

Quando ainda em dezembro de 2019, se falava na COVID-19, era para todos uma doença na China, que não teria grandes implicações no dia a dia de casa um de nós.

No final de fevereiro de 2020, todos percebemos que estávamos a entrar numa pandemia sem em algum momento tivéssemos medido as verdadeiras repercussões.

A verdade é que, no meio do mês de março, o medo instalou-se, todos percecionamos que viriam dias de ansiedade e que não podíamos facilitar.

A equipa da União das Freguesias de Tarouca e Dálvares rapidamente se mobilizou, deixando de lado os objetivos iniciais e focando-se no que era verdadeiramente importante, a proteção das nossas gentes.

Durante este ano de 2020, vivemos uma crise pandémica sem precedentes, as alterações ocorridas no nosso quotidiano trouxeram consequências para o setor económico, mas principalmente para o setor social.

Rapidamente percebemos que esta doença estava a agudizar os problemas das famílias mais vulneráveis e cada uma das instituições locais não podia adormecer, era necessária uma atuação rápida e assertiva, no desenvolvimento de políticas de responsabilidade social.

Muitas foram as família que perderam a estabilidade financeira conquistada nos últimos tempos e as empresas iniciaram um período de perdas de receita nunca vivido, colocando em causa a sua viabilidade.

Foi perante este cenário de crise pandémica que nos obrigámos a readaptar a estratégia e plano de ação pensado para o ano 2020, pois era também função da União das Freguesias de fazer tudo ao seu alcance para ajudar na proteção das pessoas e ao mesmo tempo minimizar o perigo de contágio, bem como o risco dos mais idosos.

Assumimos o nosso papel de agentes de proteção civil e integrámos a equipa de proteção civil municipal, participando nas decisões tomadas semanalmente.

A União das Freguesia de Tarouca e Dálvares sempre se orgulhou do trabalho desenvolvido, em particular no setor social, e, neste ano de 2020, focámos uma grande parte da nossa atividade neste mesmo setor, pois estávamos conscientes que, durante esta crise pandémica, tínhamos de ajudar aqueles que se encontravam em maiores dificuldades, que se encontravam mais fragilizados.

Atuámos, ajudámos, resolvemos muitos destes problemas, sem, em nenhum momento, expormos estas pessoas, protegendo assim a dignidade humana, como a todo deveria ser exigido.

No entanto, sem esquecer as necessidades do momento extraordinário que vivemos, não perdemos de vista um conjunto de investimentos que teríamos de avançar, estando conscientes que se desenvolveriam a um ritmo mais lentes, avançámos e fizemos acontecer.

É por todos sabido que o movimento associativo, consequência desta doença, não teve a mesma dinâmica dos anos anteriores, mas mesmo assim decidimos continuar a apoiar, pois sabemos que só assim é possível motivar, na esperança que, em 2021, possam mostrar todo o seu empenho e realizar as suas atividades, que são verdadeiro motor de desenvolvimento social nas sua localidades.

Sendo conhecedores do estado dos regadios, criámos desafios e, através de parcerias entre as juntas de regantes e a União das Freguesias, foi possível, durante o ano de 2020, requalificar e reabilitar vários quilómetros de regadio, garantindo assim um apoio direto ao setor agrícola e aos agricultores. Sem em nenhum momento esquecer os trabalhos de limpeza e requalificação dos caminhos agrícolas.

Tarouca e Dálvares são hoje locais com enormes manchas florestais, sabendo que não poderemos proteger a 100% a nossa floresta, mas tendo noção da importância da limpeza e manutenção dos caminhos que a atravessam, desenvolvemos um plano de trabalhos que mantivesse os principais caminhos desobstruídos e em condições razoáveis para uma atuação rápida por parte dos bombeiros.

Fomos e somos parceiros das mais diversas instituições da freguesia, quer do setor social, desportivo, cultural ou religioso, sabendo que todo os apoios, seja este financeiro, técnico ou humano, será sempre um investimento para a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos que aqui residem.

Foi um ano atípico, foi impossível desenvolver de forma normal cada um dos projetos que tínhamos programado, mas estamos certos de que a atuação desta União das Freguesias no combate e prevenção da pandemia foi fundamental e bem mais importante que qualquer grande obra que tivéssemos edificado.

Hoje, cabe-me a mim, em nome de toda a equipa, deixar algumas palavras de gratidão e de inteira justiça, a cada um daqueles que não se resignou e enfrentou esta crise pandémica.

Começo pelo setor da saúde, socorro e segurança. No caso, médicos, enfermeiros, bombeiros e forças de segurança, transformaram-se em super-heróis, carregaram consigo a responsabilidade de proteger e tratar as nossas gentes. A cada um destes profissionais, bem como ao pessoal dos serviços administrativos e operacionais, uma palavra de gratidão pela sua entrega diária numa luta tantas vezes inglória e sob condições adversas.

Já no âmbito das Instituições particulares de solidariedade social (IPSS), muito e muitos teríamos de enaltecer. Pois durante quase um ano mostraram-se pessoas de uma grandeza sem igual. Os utentes, normalmente pessoas mais frágeis, souberam entender que era necessário viver neste isolamento sem precedentes, e mesmo sofrendo com esta situação, souberam manter a sua serenidade. Os familiares destes utentes, sabendo que era preciso proteger aqueles que tanto amam, foram capazes de respeitar o afastamento e cada uma das orientações, sendo sempre parte da solução. Já os profissionais do setor social foram homens e mulheres de inigualável sentido humanitário, esquecendo tantas vezes os seus direitos laborais e dando tudo que tinham de si em favor dos outros.

Não há palavras para demonstrar a gratidão, mas estamos certos de que ninguém se esquecerá do vosso empenho e dedicação.

Sei que foram tantas e tantas pessoas que nestes momentos difíceis transformaram as sua vidas em favor da sua proteção e dos outros. A cada um de vós estamos gratos, pois só desta forma fomos capazes de manter a nossa freguesia em maior segurança.

Uma palavra final para com a Proteção Civil Municipal, onde participam todos os Presidentes de Junta, GNR, Bombeiros, IPSS’s, Agrupamento de Escolas e Câmara Municipal. Foram, e ainda são, momentos muitos difíceis, onde a maior parte das vezes não havia informação para poder atuar e tantas outras vezes não se tinha qualquer certeza sobre as ações que se iam desenvolver. Mas em nenhum momento se esperou pelo dia seguinte, atuou-se antes do dia chegar, criando-se estratégias e medidas de proteção por antecipação.

Sabemos que nem sempre foi possível fazer entender cada passo, e tantas vezes a crítica fácil sobrepunha-se à verdade e ao trabalho desenvolvido, mas hoje todos sabemos da importância da atuação da Comissão Municipal de Proteção Civil.

A parceria, sempre existente, com a Câmara Municipal é fundamental para realizar a maior parte dos trabalhos, obras ou apoios realizados pela União das Freguesias de Tarouca e Dálvares. Os recursos financeiros humanos e de equipamentos das Juntas de Freguesia são extremamente limitados, e não fossem os protocolos com a Câmara Municipal, maior parte do plano definido ficaria por executar. Neste sentido, uma palavra de enorme apreço para com o Sr. Presidente da Câmara Municipal de Tarouca, Valdemar Pereira, e toda a sua equipa, pela sensibilidade e pelo apoio continuo a que nos habituou.

É Natal, e neste ano, esta época festiva sente-se de forma mais intensa.

Passámos a maior parte do ano afastados daqueles que mais amamos, mostrando assim que somos capazes de os proteger.

Ainda não vivemos momentos de paz absoluta, e neste período, onde normalmente a família se junta e comemora, vamos sentir uma maior tristeza pelo lugar que ficará vazio na mesa durante a Ceia de Natal, mas temos que continuar firmes no objetivo de proteger os mais fragilizados pela idade ou por qualquer doença de risco.

Quero desejar a cada de vós um Santo e Feliz Natal, na esperança de que, muito em breve, nos possamos encontrar e abraçar em segurança, sem esta doença a atrofiar cada um dos movimentos de afeto e carinho. Que 2021 seja um ano de esperança no futuro, sem a existência da COVID-19, desejando a todos vós um ano de sucesso e realizações pessoais e profissionais, de maior convívio, e onde o espírito de amizade se sobreponha aos momentos de angústia que vivemos.

Um abraço de amizade,
Rui Raimundo

Dezembro 2020

Redes Sociais

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D